R7 Planalto Confederação se exime, mas libera caminhoneiros no 7 de Setembro

Confederação se exime, mas libera caminhoneiros no 7 de Setembro

CNTA alerta, contudo, sobre o respeito à ordem pública, às instituições, às leis e à sociedade como um todo

Na imagem, protesto de caminhoneiros

Na imagem, protesto de caminhoneiros

Tânia Rêgo /Agência Brasil

A CNTA (Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos) divulgou uma nota nesta sexta-feira (3) em que afirma que as manifestações do 7 de setembro, Dia da Independência, não carregam nenhuma reivindicação da categoria e que eventual participação de caminhoneiro representa a vontade do cidadão e não da entidade.

Estão previstas manifestações a favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no feriado da Independência, em 7 de Setembro. Grupos contrários ao chefe do Executivo também devem ir às ruas.

“Em relação às manifestações anunciadas para acontecer no dia 07 de setembro, a CNTA compreende que se trata de um dia de atos pelo país organizados pela população, convocados e divulgados nas redes sociais e em grupos de aplicativos de mensagens e que não carregam em seu escopo nenhuma reivindicação específica relacionada à atividade profissional do caminheiro autônomo”, afirma.

“Desse modo, eventual participação de um caminhoneiro na manifestação do dia 07 de setembro representará a vontade individual desse cidadão brasileiro, que decide por si próprio exercer seu direito de livre manifestação e liberdade de expressão”, acrescenta.

A confederação avalia ainda que o caminheiro autônomo, antes de tudo, é um cidadão brasileiro e, consequentemente, sujeito de direitos e obrigações. Na sequência, alerta sobre o respeito à ordem pública, às instituições, às leis e à sociedade como um todo.

Últimas