CPI da Covid

R7 Planalto CPI da Covid estuda antecipar novo depoimento de Marcelo Queiroga

CPI da Covid estuda antecipar novo depoimento de Marcelo Queiroga

Senadores do G7 querem adiantar o depoimento da ex-secretária Luana Araújo. Nesta semana ouve Nise Yamaguchi e médicos

  • R7 Planalto | Renata Varandas, da Record TV, com Mariana Londres

CPI da Covid estuda antecipar novo depoimento de Queiroga

CPI da Covid estuda antecipar novo depoimento de Queiroga

Wallace Martins/Futura Press/Estadão Conteúdo - 26.5.2021

Em reunião remota neste final de semana, a cúpula da CPI da Covid, o grupo de senadores chamado de G7, decidiu rever o calendário de depoimentos. A ideia é adiantar para a semana após feriado de Corpus Christi o depoimento da ex-secretaria de enfrentamento à Covid, Luana Araújo, que ficou no cargo por apenas 10 dias. 

O objetivo de ouvir a infectologista é obter mais informações sobre o desligamento da especialista em um posto estratégico no enfrentamento da pandemia no Brasil.

A CPI também quer adiantar o novo depoimento do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e espera também ouvi-lo na semana do dia 7, mas ainda não há data fechada. O motivo para adiantar o depoimento de Queiroga é tentar frear o comportamento do presidente da República, que promove aglomerações e não usa máscara em momento de iminência da terceira onda, apesar das recomendações do ministro da Saúde de se manter isolamento e uso de máscara.  

A comissão já tinha uma calendário prévio de depoimentos para o mês de junho (veja abaixo), mas deve, após decisão do presidente do colegiado, senador Omar Aziz (PSB-AM), fazer alterações no cronograma.

Para esta semana, fica mantida programação normal com Nise Yamaguchi na terça-feira e quatro médicos na quarta. A oitiva dos governadores, que começaria no final do mês, ainda depende de decisão do STF (Supremo Tribunal Federal). 

Veja a agenda prévia para junho, que deve sofrer alterações:

Terça-feira (1º): Nise Yamaguchi, médica oncologista defensora da cloroquina contra a Covid;

Quarta-feira (2): Clovis da Cunha, presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia; Zeliete Zambom, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade; Francisco Alves, infectologista do Hospital Emílio Ribas (SP); Paulo Porto Melo, médico neurocirurgião;

Terça-feira (8): Nísia Trindade Lima, presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz);

Quarta-feira (9): Elcio Franco, ex-secretário-executivo do Ministério da Saúde;

Quinta-feira (10): Markinhos Show, ex-assessor do Ministério da Saúde;

Sexta-feira (11): Cláudio Maierovitch, médico sanitarista, e Nathália Pasternak, microbiolgoista e pesquisadora da USP;

Terça-feira (15): Marcellus Campêlo, secretário de Saúde do Amazonas;

Quarta-feira (16): Wilson Witzel, ex-governador do Rio de Janeiro;

Quinta-feira (17): Carlos Wizard, empresário;

Terça-feira (22): Filipe Martins, assessor da Presidência da República;

Quarta-feira (23): Representante do Instituto Gamaleya (desenvolvedor da vacina russa Sputnik V);

Quinta-feira (24): Jurema Werneck, representante do Movimento Alerta;

Terça-feira (29): Wilson Lima, governador do Amazonas;

Quarta-feira (30): Helder Barbalho, governador do Pará.

Últimas