CPI da Covid

R7 Planalto CPI: especialistas criticam fala de Bolsonaro sobre uso de máscara

CPI: especialistas criticam fala de Bolsonaro sobre uso de máscara

Cláudio Maierovitch e Natalia Pasternak reforçaram nesta sexta-feira (11) o uso do objeto a fim de evitar contaminação de covid-19

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7

Especialistas falam à CPI da Covid nesta sexta (11)

Especialistas falam à CPI da Covid nesta sexta (11)

Jefferson Rudy/Agência Senado - 11.06.2021

Especialistas ouvidos pela CPI da Covid nesta sexta-feira (11) criticaram a declaração feita pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de que emitirá um parecer para desobrigar o uso de máscara por aqueles que foram vacinados ou já contaminados pela covid-19.

Pesquisador da Fiocruz e ex-presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Cláudio Maierovitch rechaçou a fala do titular do Executivo e afirmou que, enquanto não tivermos a maioria da população vacinada, se faz necessário o uso de máscara para evitar contaminação.

“As vacinas parecem mais eficazes para evitar morte, doença grave, do que para evitar casos mais leves e, provavelmente, para evitar infecções sem sintomas. Enquanto nós não tivermos uma parte enorme da população vacinada, nós temos que continuar com o cuidado, usarmos máscaras”, disse Maierovitch.

A microbiologista e pesquisadora da USP (Universidade de São Paulo), Natalia Pasternak também criticou a fala de Bolsonaro. “A recomendação do uso de máscara é essencial enquanto a gente continua observando um número de casos e morte diário preocupantes. A gente só vai poder deixar de usar as medidas preventivas, máscara e distanciamento, por exemplo, quando uma grande porção da população estiver vacinada e quando a curva nos disser que isso é seguro”, afirmou.

Pasternak comparou com um jogo de futebol e o goleiro. "Como é que a gente sabe que um goleiro é um bom goleiro? A gente olha o histórico dele, que é a eficácia do goleiro, a frequência com que ele pega a bola. Se ele tem um bom histórico – uma boa eficácia nos testes clínicos –, ele é um bom goleiro, mas isso não quer dizer que ele é infalível, não quer dizer que ele é invicto, não quer dizer que ele nunca vai tomar gol. E se a gente olha para um único jogo em que ele tomou um frango e fala: "Ih, esse cara tomou frango, ele é uma porcaria", não, ele não é uma porcaria, ele é um bom goleiro, ele só não é infalível. E se ele tem uma defesa de time que é uma droga, que não serve para nada, que não usa máscara, que não faz distanciamento social, que não respeita as medidas preventivas, vai ter tanta bola vindo para o gol, vai ter tanto vírus circulando que a probabilidade de ele errar é muito maior. Então, uma boa vacina é como um bom goleiro: ela pode ser muito boa, mas ela não é infalível e, se tiver muita bola para o gol, muito vírus circulando, a probabilidade de ela falhar é maior. Então, a gente precisa reforçar a defesa do time. A gente precisa ter o bom goleiro, que é uma boa vacina, mas também precisamos ter uma boa defesa do time. Tudo isso em conjunto vai nos levar a um momento, no futuro, em que a curva da doença vai decair e vai permitir, então, que a gente relaxe as medidas de quarentena".

Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou nesta quinta-feira (10), durante evento com o Ministério do Turismo, que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, vai emitir parecer para desobrigar o uso de máscara por aqueles que foram vacinados ou já contaminados pela covid-19. A medida contraria protocolos médicos, que recomendam a proteção contra o risco de reinfecção e escape das vacinas que estes grupos ainda correm.

A fala veio depois do presidente lembrar de matérias jornalísticas que apontam de forma recorrente quando ele não usa máscara em visitas a municípios brasileiros. "Ele [Queiroga] vai ultimar parecer visando a desobrigar o uso de máscara por parte daqueles que estejam vacinados ou que já foram contaminados para tirar essa (...) esse símbolo, que obviamente tem a sua utilidade para quem está infectado", disse.

A recomendação de especialistas, porém, é de manter o uso da máscara tanto para os já recuperados da covid como para aqueles que foram totalmente imunizados com as vacinas. Entre os motivos, está o fato de que variantes do novo coronavírus têm maior potencial de escapar de anticorpos naturais ou produzidos em resposta a vacinas.

Últimas