Criticar corpo de Marquezine é falta de louça para lavar

Ao dizer que "precisava" emagrecer para interpretar vilã da novela das sete, Bruna exagera e alimenta polêmica sobre a visível mudança física dela

Atriz sabe que também vive da própria beleza

Atriz sabe que também vive da própria beleza

Reprodução Instagram

Uma pilha de louça ninguém quer lavar, mas para dar pitaco sobre o corpo de Bruna Marquezine, não falta voluntário.  Verdade que, nesse quesito, a moça merece a devida atenção – e, de certa forma, vive disso, da própria beleza.

Antigamente, toda atriz queria ser famosa. Hoje em dia, toda famosa quer ser atriz. Bruna parece indecisa. De uma forma (encorpada) ou de outra (magrelinha), ela sempre terá seus ardorosos fãs. Falar dela, portanto, mal não faz.

Mas é intrigante o quanto perdemos tempo e energia com a vida alheia. Eu mesmo poderia estar carpindo um lote. Preferi meter meu bedelho no entusiasmado debate sobre a fase esquelética da outrora exuberante (e por isso) ex de Neymar.

Ela só não devia mentir, é feio. Dizer que precisava emagrecer (a olho nu, pela metade) para interpretar a vilã da novela das sete é um exagero constrangedor. Até porque o personagem dela não tinha um miligrama da complexidade do Coringa do Joaquin Phoenix. Esse, sim, precisou perder 23 quilos para o papel – e ganhar o Globo de Ouro, né?

Tudo indica que o gatilho da profunda mudança física de Marquezine foi uma crise de depressão. E aí o papo é sério. Ela mesma admite isso, fazendo questão de dizer que hoje está se sentindo ótima, gozando de plena saúde. Que bom. O fato é que, olhando as fotos que mostram o antes e o depois, quem passa mal sou eu.