R7 Planalto Delegados alegam 'desvalorização' e protestam contra o governo

Delegados alegam 'desvalorização' e protestam contra o governo

Integrantes estão a partir de agora em permanente mobilização, diz nota pública de cinco entidades e sindicatos

Protesto de policiais na sede da PF em Brasília

Protesto de policiais na sede da PF em Brasília

Reprodução

Associações, sindicatos e federações de policiais, agentes e peritos da Polícia Federal criticaram a "desvalorização" da categoria no governo Bolsonaro em protestos espalhados pelo país nesta terça-feira (16). Eles afirmam que avaliam medidas mais severas.

A crítica pública foi divulgada em nota por cinco entidades. “Nos últimos anos, perderam direitos, tiveram salários reduzidos, continuam adoecendo acima da média da população sem assistência médica adequada e sofreram com congelamentos de investimento no servidor”, diz.

“No ano passado, no mesmo dia 16 de novembro, o então ministro da Justiça e Segurança Pública, em nome do presidente da República, prometeu valorização e reconhecimento do trabalho prestado pelo policial federal. Um ano depois, nada de concreto foi efetivado”, acrescenta.

O protesto se deu no dia do policial federal. “Não queremos comemoração. Queremos valorização e respeito”. As entidades contam ainda que os integrantes estão a partir de agora em permanente mobilização.

Por enquanto, os membros esperam uma reavaliação do chefe do Executivo perante a categoria - pedem correção de salário, assistência médica, entre outros pontos. Fontes relataram que, caso o governo não avance no tratamento com a classe, vão avaliar medidas mais severas, como a entrega de cargos na PF.

A nota é assinada em conjunto pela ADPF (Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal), APCF (Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais), Fenadepol (Federação Nacional dos Delegados de Polícia Federal), Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais) e Sindepol (Sindicato dos Delegados de Polícia Federal).

Últimas