R7 Planalto Deputado aciona PF contra invasão da sede da Aprosoja, em Brasília

Deputado aciona PF contra invasão da sede da Aprosoja, em Brasília

Documento foi enviado nesta quinta-feira (14) por Jerônimo Goergen (PP-RS), que pede 'punição com total rigor'

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7

Na imagem, deputado Jerônimo Goergen (PP-RS)

Na imagem, deputado Jerônimo Goergen (PP-RS)

Reprodução/Câmara dos Deputados

O deputado federal Jerônimo Goergen (PP-RS) acionou nesta quinta-feira (14) a PF (Polícia Federal) contra a manifestação realizada na sede da Aprosoja (Associação Brasileira dos Produtores de Soja), em Brasília.

“A Aprosoja teve sua sede invadida e vandalizada. É preciso identificar os invasores e, principalmente, os organizadores desse ato, punindo-os com total rigor”, afirma Goergen no documento.

Na manhã desta quinta, manifestantes invadiram a sede da associação e depredaram a fachada do edifício, localizado no Lago Sul, região nobre da capital federal.

Além de vandalizar os portões e o muro, o grupo pichou paredes dentro do imóvel da associação e jogou tinta vermelha nas janelas. Entre os dizeres pichados estão frases como "Agro é morte", "Soja não enche prato" e "Bolsonaro é fome".

A Via Campesina Brasil, parte da organização internacional de camponeses, assumiu a autoria do ato pelas redes sociais. Em um manifesto, ela afirma que a medida integra as ações da Jornada Nacional pela Soberania Alimentar. No texto, a entidade atribui ainda a miséria e a fome dos brasileiros ao governo federal.

Segundo a Polícia Militar, cerca de 60 pessoas participaram do ato. A Polícia Civil realiza perícia no local. A 10ª Delegacia de Polícia (Lago Sul) investiga o caso como crime de dano e associação criminosa.

Em nota, a Aprosoja afirmou que "já está tomando as providências cabíveis junto às autoridades policiais para que os responsáveis sejam identificados e responsabilizados por cada um dos crimes cometidos". "Esta invasão covarde é uma afronta ao Estado Democrático de Direito e põe em risco a integridade física de seus colaboradores e associados", disse a associação.

Últimas