R7 Planalto Deputado do PSL atira em advogado na porta de festa em Brasília

Deputado do PSL atira em advogado na porta de festa em Brasília

Vítima, que foi operada e segue internada, alega que Alexandre Knoploch e outros parlamentares tentavam entrar em balada clandestina

  • R7 Planalto | Elijonas Maia, da Record TV, com Mariana Londres

Na imagem, Alexandre Knoploch (PSL-RJ)

Na imagem, Alexandre Knoploch (PSL-RJ)

Divulgação Alerj

Alexandre Knoploch, deputado estadual do Rio de Janeiro pelo PSL, atirou no pé de um advogado de 39 anos em Brasília, na porta de uma restaurante onde estaria ocorrendo uma festa clandestina na madrugada desta quinta-feira (2) durante a pandemia do novo coronavírus. O parlamentar alega ter agido em legítima defesa e se apresentou à polícia. 

O caso foi registrado como lesão corporal e está sendo investigado pela 1ª Delegacia Policial de Brasília.  A vítima foi internada no Hospital de Base (HBB), onde passou por cirurgia e segue internada.

Leia mais: Maioria dos brasileiros não quer ter arma em casa

A vítima alega que Knoploch e outros dois deputados tentavam entrar em uma balada clandestina, que descumpria as ordens das autoridades de saúde de isolamento social para evitar a proliferação do novo coronavírus.

Uma ocorrência foi registrada na 1ª DP, na Asa Sul, e o caso começa a ser investigado como lesão corporal.

O deputado Alexandre Knoploch se manifestou por meio de nota: 

"Na última quinta-feira, o deputado estadual Alexandre Knoploch se dirigiu a uma delegacia de Polícia Civil, em Brasília, para registrar que foi vítima de uma agressão covarde, quando saía de um restaurante. Ao deixar o estabelecimento, recebeu socos pelas costas e foi derrubado no chão.

Para paralisar seu agressor, desferiu um tiro em seu pé.

De acordo com o relatado pelo agressor após o incidente, o deputado foi confundido com outra pessoa.

Vale a pena ressaltar que o próprio deputado foi quem procurou as forças policiais, para registrar o caso.

O deputado pediu, por conta própria, ainda, que além do exame de corpo delito, fossem também feitos os exames toxicológico e de alcoolemia, comprovando que ele não havia ingerido bebida alcoólica. E esclareceu que possui porte de arma".

Últimas