R7 Planalto Deputados federais defendem adiamento das provas do Enem

Deputados federais defendem adiamento das provas do Enem

TRF-3ª Região manteve decisão judicial e exame está mantido para os dias 17 e 24 de janeiro, com exceção ainda de Manaus

Enem está previsto para os dias 17 e 24 de janeiro

Enem está previsto para os dias 17 e 24 de janeiro

Marcello Casal JrAgência Brasil

Deputados federais, como Tabata Amaral (PDT-SP) e Sâmia Bomfim (PSOL-SP), usaram as redes sociais nesta quinta-feira (14) para defender o adiamento das provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), previsto para os dias 17 e 24 de janeiro.

“Lutamos pelo adiamento do exame para que o Inep tivesse tempo hábil de planejamento. Não é aceitável que a quatro dias do Enem o órgão ainda não tenha garantindo que ninguém será prejudicado. Não se brinca com sonhos”, diz Tabata.

“Além disso, após questionarmos o Inep, o órgão garantiu que os candidatos que tiverem sintomas de doenças infectocontagiosas nos dias do Enem poderão realizar a prova na data da reaplicação”, acrescentou a pedetista.

Já Sâmia, líder do PSOL na Casa, afirmou que o adiamento do exame é necessário “para não ampliar as desigualdades e para preservar as vidas”.

“A pandemia aprofundou ainda mais a desigualdade no acesso a um direito básico como a educação, com assistência nula ou mínima por parte dos governos. Se for realizado agora, esse Enem será marcado pelo desprezo à vida e a reafirmação dessa desigualdade”, disse via redes sociais.

Também nesta quinta, o TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) manteve a decisão da Justiça Federal de São Paulo e as provas do Enem estão mantidas. 

Últimas