R7 Planalto Doria promete avançar em reformas e critica Bolsonaro

Doria promete avançar em reformas e critica Bolsonaro

No Brazil Conference, pré-candidato à Presidência pelo PSDB disse que as reformas administrativa e tributária avançarão se for eleito

  • R7 Planalto | Mariana Londres, do R7, em Brasília, com Estadão Conteúdo

Doria promete avançar em reformas estruturantes e critica Bolsonaro

Doria promete avançar em reformas estruturantes e critica Bolsonaro

Adriano Machado/Reuters - 27.11.2021

O ex-governador de São Paulo e pré-candidato à Presidência pelo PSDB, João Doria, disse, neste domingo (10), que irá apresentar o seu programa econômico de governo em breve e criticou a falta de reformas estruturantes pelo governo Bolsonaro.

Assim como outros presidenciáveis, Doria participou da  Brazil Conference, evento de sabatinas e palestras realizado por estudantes brasileiros de Harvard, em Boston, nos Estados Unidos. A participação de Doria foi por videoconferência. 

"Vamos sim avançar na reforma tributária, na reforma administrativa, coisa que esse governo não teve coragem de fazer. Escolheu o caminho mais fácil, que foi entregar o governo ao Centrão. Aquilo que se criticava nas eleições de 2018 foi exatamente a atitude covarde e fraca de um governo sem líder que admitiu que a ruptura do teto de gastos fosse admitida como algo possível, quando isso deveria ser condenado", disse. 

Durante boa parte do evento, Doria destacou programas sociais que implementou em São Paulo, antecipando o que deve ser o tom da sua campanha. 

"Não há como ter uma política liberal econômica sem ter uma política social, que representa o investimento do Estado, a obrigação do Estado de estar ao lado dos mais pobres e reduzir as diferenças sociais", disse.

Terceira via

Sobre a terceira via, Doria pregou consenso entre as siglas, mas indicou que não deve abrir mão de ser o candidato escolhido pelo grupo.

"O PSDB, por ser um partido democrático, que não tem dono, tem seu exercício dos que concordam e os que não concordam. Eu prefiro conviver em um partido assim do que em um partido que tem dono".

Ele defendeu a busca pelo consenso com o MDB e o União Brasil.

"Vamos seguir agora na busca do consenso com o MDB, eu assisti a boa exposição feita pela senadora Simone Tebet, e também com a participação do União Brasil, partido que deverá ter seu candidato, que ainda não foi anunciado. Esse mesmo bom exercício democrático, do diálogo entendimento, humildade, pensando no Brasil, não o pensamento no candidato e no partido."

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas