Em áudio, Maia orienta acordos por telefone para evitar aglomeração

Presidente da Câmara dos Deputados sugeriu diminuir número de assessores por gabinete e reuniões a "duas ou três pessoas" por causa do coronavírus

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ)

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ)

Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Em meio a pandemia do coronavírus, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), orientou parlamentares a fazerem acordos por telefone para evitar aglomerações.

“A gente constrói um acordo antes, fora, conversando por WhatsApp, por telefone e, em alguns casos, duas pessoas juntas, três conversando”, disse. “A gente não vai fazer sessão com 300 deputados no plenário. A gente só vai ao plenário se tiver acordo para votar matérias relacionadas ao coronavírus”, acrescentou.

Leia mais: De 'superdimensionado' a risco dentro do Planalto, como Bolsonaro teve que mudar postura sobre coronavírus

Maia avalia que, neste momento, interromper o funcionamento da Câmara dos Deputados pode deixar a “sociedade mais assustada ainda”. Na semana passada, o parlamentar anunciou a restrição de pessoas na Casa devido ao coronavírus.

“Claro que não é pra ficar todo mundo no plenário. Cada um pode ficar no apartamento, no hotel, no gabinete. Reduzir o número de assessores por gabinete, deixar no máximo um”, sugere.