Eleições 2022

R7 Planalto Em evento do PSD, Pacheco acena com filiação ao partido

Em evento do PSD, Pacheco acena com filiação ao partido

Presidente do Senado é cortejado pela legenda a deixar o DEM e ser o candidato da legenda à presidência em 2022, pela terceira via

  • R7 Planalto | Mariana Londres, do R7, em Brasília

Mariana Londres/R7

O evento de comemoração de dez anos de criação do PSD, na tarde desta terça-feira (21), na Câmara dos Deputados, foi mais um capítulo do "namoro" entre o PSD e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Gilberto Kassab, fundador e presidente da legenda, defende publicamente que Pacheco deixe o DEM, a exemplo do que ele próprio fez há dez anos ao fundar sigla, e seja o candidato da legenda à presidência em 2022, uma opção de terceira via. "Temos aqui hoje a mais nova revelação na política brasileira nessa década", disse. 

No evento, ao lado do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), Pacheco seguiu a linha mineira e não disse se pretende se filiar. Mas deu sinais claros de que há essa possibilidade: "Tenho o PSD no meu coração".

Ao final da fala de Pacheco, o líder do PSD na Câmara, deputado Antonio Brito (BA), disse que o partido estava de "coração aberto e uma ficha [de filiação] na mão, aproveitando o trabalho do cupido Gilberto Kassab". 

Pacheco destacou ainda na sua fala a qualidade das discussões dos integrantes do PSD, na Câmara e no Senado, e falou sobre os "inimigos na nação", em tom de campanha. "Não precisamos criar crises e nem criar inimigos. Os inimigos já estão postos: desemprego, fome, miséria, crise hídrica e energética que demandam união."

Arthur Lira falou da importância do PSD e disse que a legenda, ao lado o seu partido, o PP e outros, fazem uma "união muito forte de centro". 

Antes do evento, Kassab falou ao R7 Planalto que pretende ter uma definição sobre candidatura do partido à presidência no início de 2022: "Na política a gente aprende a não dar prazo, mas eu espero que no início do ano a gente caminhe para finalização. Nossa meta é ter isso o mais rapidamente definido. A gente quer fugir dessa polarização, o partido já se posicionou e temos a simpatia, e no meu caso a convicção pessoal, de que o melhor nome é do Rodrigo Pacheco".

Últimas