Em reunião, conversa entre ministro e presidente foi tensa, mas cordial

Durante o encontro de mais de duas horas, Jair Bolsonaro falou abertamente das divergências públicas com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta

Bolsonaro fez uma avaliação da situação no país

Bolsonaro fez uma avaliação da situação no país

DIDA SAMPAIO-18.mar.2020/ESTADÃO CONTEÚDO

Em reunião com todos os integrantes dos ministérios no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro fez uma avaliação da situação provocada pelo coronavírus no final da tarde desta segunda-feira (6). Ele disse que o momento é delicado, que vai acompanhar ainda mais de perto e pode interferir nos ministérios.

Leia também: Mandetta: 'Vamos ficar e enfrentar nosso pior inimigo, o coronavírus'

Bolsonaro também pediu união da equipe e traçou estratégias de comunicação para o governo. O presidente ainda pediu que os ministros conversem mais com o ministro Luiz Eduardo Ramos para que não haja diferentes orientações na condução da articulação política.

Durante o encontro de mais de duas horas, Jair Bolsonaro falou abertamente das divergências públicas com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. O ministro disse que o trabalho na pasta pode seguir sem ele e que não iria fazer escândalo caso fosse demitido.

Mandetta também afirmou que ainda não se sente confortável para recomendar o uso da hidroxicloroquina para casos graves de covid-19 por falta de estudos científicos.

A pasta da Saúde também está avaliando estratégias para relaxamento das medidas de isolamento social nas cidades que estejam com boa capacidade hospitalar.

Segundo fontes, a conversa entre  presidente e o ministro na presença dos integrantes do governo foi tensa, mas clara, aberta e cordial.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, ainda falou da preocupação com a economia e com as pessoas que estão enfrentando dificuldades para comprar alimentos.