R7 Planalto 'Entregamos um Senado mais pacificado', afirma Alcolumbre

'Entregamos um Senado mais pacificado', afirma Alcolumbre

Em fala de despedida, o presidente da Casa defendeu vacinação contra a covid-19 e lamentou os problemas sociais do Brasil

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

"Somos muito felizes de vivermos numa democracia"

"Somos muito felizes de vivermos numa democracia"

Adriano Machado/Reuters

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou nesta segunda-feira (1º), antes de abrir a sessão que vai definir seu sucessor, que tentou mais acertar do que errar durante seus dois anos de mandato no comando do Congresso Nacional.  "Desde o dia da eleição, há 24 meses, acho que conseguimos entregar um Senado mais pacificado, com respeito de pelo menos a maioria dos senadores da República", avaliou.

"Somos todos muito felizes de vivermos numa democracia, cumpri com as minhas obrigações e continuarei cumprindo. Tive a honra de presidir a Casa por dois anos e tentei acertar mais do que errar. Se Deus me deu virtude é de ouvir, paciência de conversar e vontade de vencer", disse Alcolumbre.

Ele afirmou ter "certeza absoluta" vai continuar cumprindo seu dever, porque ainda exerce o mandato de senador da República. "Quero dizer que a gente passou um período de muita turbulência, de muita polarização política, de enfrentamento institucional, e teve como presidente do Senado a oportunidade de pedir a pacificação, a união dos brasileiros, ser uma ponte em reação aos outros poderes, quando muitas das vezes, alguns atores faziam de tudo para destruir as pontes", analisou o ainda presidente do Senado.

Leia mais: 'Seja feliz, tudo acaba um dia', diz Bolsonaro em recado a Maia

Na avaliação de Alcolumbre, é necessário "dar uma resposta para aqueles que mais precisam" como alternativa para conter os problemas sociais ampliados pela crise do novo coronavírus. "Assim como a vacinação, as coisas estão acontecendo, vão acontecer, poderiam ser mais rápidas. Temos a vacina no Brasil. Seja ela de onde for, com autorização da Anvisa. Porque só vamos sair dessa com o povo vacinado", destacou.

Favorito para assumir a cadeira de Alcolumbre, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) disputa a eleição desta segunda-feira (1º) contra os senadores Simone Tebet (MDB-MS), Major Olímpio (PSL-SP), Jorge Kajuru (Cidadania-GO) e Lasier Martins (Podemos-RS). Em sua fala, Alcolumbre confirmou as que eleições para os demais membros da mesa diretora do Senado acontecerá somente amanhã (2).

"Que os candidatos possam debater ideias e, ao final disso, com a eleição, a gente possa ter eleito um presidente ou uma presidenta que possa ajuda o Senado, o Brasil e os brasileiros, porque estamos vivendo muitas dificuldades", finalizou Alcolumbre.

Últimas