CPI da Covid

R7 Planalto Fábio Faria rebate Mandetta: "O senhor se considera genocida?"

Fábio Faria rebate Mandetta: "O senhor se considera genocida?"

Ministro das Comunicações questionou sobre recomendação, no início da pandemia, de só procurar hospitais em casos graves

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7

Na imagem, ministro Fábio Faria (Comunicações)

Na imagem, ministro Fábio Faria (Comunicações)

Carolina Antunes/PR

O ministro das Comunicações, Fábio Faria (PSD-RN), rebateu Luiz Henrique Mandetta após ter sido citado durante depoimento do ex-ministro da Saúde na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da covid-19 no Senado Federal nesta terça-feira (4).

“Eu não vi uma palavra do senhor quando no final do ano passado muitos Estados, que tinham feito hospitais de campanha, desmontaram hospitais de campanha, e o senhor não deu uma palavra em relação a isso, que poderia ter salvado muitas vidas também”, afirmou Faria em vídeo publicado nas redes sociais.

“O senhor dizia que as pessoas não buscassem hospitais quando tivessem sintomas, para não superlotar os hospitais, que apenas quando tivessem falta de ar, problema de respiração, buscassem os hospitais. E muitas dessas pessoas que ouviram o ministro Mandetta naquele momento podem ter chegado aos hospitais, terem sido intubadas e muitos foram a óbito, ministro. Minha pergunta é clara: o senhor se arrepende de ter feito essa recomendação? O senhor reiteraria hoje essa mesma recomendação? O senhor se considera genocida por ter feito essa recomendação?”, acrescentou.

Na época em que era titular da Saúde, Mandetta teria afirmado que a recomendação era a de que as pessoas deveriam ir aos hospitais somente quando tivessem sintomas graves da covid-19. No depoimento desta terça, o ex-ministro falou sobre o assunto.

Mandetta afirmou que não é verdade essa recomendação, e que a afirmação é usada numa "guerra de narrativas". Segundo ele, as pessoas procuravam os hospitais preocupadas no início de 2020 com outras doenças. "Eram casos de outros vírus. Em casos de virose, a recomendação é que você observe o estado de saúde e não vá imediatamente ao hospital porque aglomera. E lá, sim, um caso positivo vai infectar todo mundo na sala de espera”, disse.

"Todas as nossas recomendações foram assertivas, levando em conta a ciência. Todas foram comprovadas pelo decorrer da doença."

Mais cedo, o senador Ciro Nogueira (PP-PI), aliado do presidente Jair Bolsonaro, questionou Mandetta se era verdade que ele havia recomendado chá, canja de galinha e reza contra o coronavírus. Ao responder à pergunta, o ex-ministro contou que havia recebido a mesma questão por parte do ministro das Comunicações, e insinuou que as questões de governistas vêm do Palácio do Planalto.

"Ontem eu recebi exatamente essa pergunta do ministro [das Comunicações] Fábio Faria. Acho que ele ia mandar para o senhor e acabou mandando pra mim. Quando fui responder, ele apagou. Então respondo para o senhor, mas também para o meu amigo, que foi parlamentar comigo, ministro Fábio Faria", disse Mandetta. No vídeo, Faria, por sua vez, confirma que conversou com o senador sobre o assunto.

Últimas