Coronavírus

R7 Planalto "Fantasia" do coronavírus não serve para a economia brasileira 

"Fantasia" do coronavírus não serve para a economia brasileira 

O covid-19 não precisa ocupar todas as manchetes econômicas; no Brasil, essa atenção ao vírus é desproporcional ao que estamos assistindo no mundo

Nesta terça-feira (10), os especuladores "realizaram seus lucros", frutos do pânico

Nesta terça-feira (10), os especuladores "realizaram seus lucros", frutos do pânico

MARCELO MACHADO DE MELO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

A pandemia do covid-19 é um fato inegável. Já está afetando a economia mundial, puxando para baixo todas as projeções de crescimento em 2020, inclusive no Brasil. São fatos. E com doença não se brinca, como vêm demonstrando as ações e protocolos do Ministério da Saúde e órgãos estaduais.

Mas também é do conhecimento universal que bolsas de valores e cotação de câmbio são instrumentos usados quase exclusivamente para especular com dinheiro de trouxas e concentrar renda de bilionários. É uma doença conhecida de todos.

Foi o que vimos nesta segunda-feira (9), a fogueira planetária em que bilhões são incinerados para, já no dia seguinte, no caso, nesta terça (10) os espertalhões de sempre “realizarem seus lucros” no rescaldo do pânico vendido na véspera.

O que coloca comida na mesa é trabalho. Prognósticos, projeções, alardes e “circuit break” pertencem a um mundo da ”fantasia”, como ironizou o presidente Bolsonaro, com seu estilo peculiar, ao referir-se à crise nos mercados causada por epidemia de coronavírus.

Na real, chega a ser patético o circo que nosso mercado financeiro arma ao tentar imitar o que ocorre em grandes economias e com os chamados grandes “players” do capitalismo internacional.

No nosso caso, o covid-19 não precisa ocupar todas as manchetes econômicas. Essa atenção ao vírus não atrapalha apenas por ser desproporcional ao que estamos assistindo no mundo.  É maléfico por nos fazer perder energia e tempo valiosos. E esse desperdício faz até mal para a saúde.

Últimas