CPI da Covid

R7 Planalto Flávio Bolsonaro critica CPI: "Vão usar caixões para fazer política"

Flávio Bolsonaro critica CPI: "Vão usar caixões para fazer política"

Senador diz que CPI não será capaz de trazer vacinas para os brasileiros, que deveria ser a prioridade no momento 

  • R7 Planalto | Mariana Londres, de Brasília

Flávio Bolsonaro critica CPI: "Vão usar caixões para fazer política"

Flávio Bolsonaro critica CPI: "Vão usar caixões para fazer política"

Jefferson Rudy/Agência Senado

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) criticou a CPI da Pandemia nesta terça-feira (27) dizendo que senadores estão usando as mortes dos brasileiros para fazer política contra do governo Jair Bolsonaro: 

"Lamento muito que CPI comece dessa forma. Quantas vacinas que essa CPI vai aplicar nos braços dos brasileiros? Qual é a ajuda que ela vai dar nesse momento mais difícil que passamos em relação à pandemia? Nenhuma. Vai ser um palanque político. Lamento que alguns senadores vão usar os caixões de quase 400 mil mortes para fazer política barata e rasteira contra o governo federal".

A conduta do senador Renan Calheiros (MDB-AL) também foi alvo de Flávio, dizendo que Renan já antecipou um possível parecer além de ser suspeito por ter filho governador: 

"Lamento que o senador Renan Calheiros tenha antecipado o seu julgamento, ao dizer em entrevista pré-julgando que o governo federal foi omisso e incompetente na questão da Covid. Ele já antecipa o seu julgamento, eu lamento ele querer ser relator e querer fazer parte dela. Essa antecipação de julgamento, sem acompanhar trabalho, ouvir ninguém, sem colher prova de nada, obviamente ele tem impedimento para estar na CPI. Eu como filho do presidente e como senador também tenho bom senso eu não poderia estar ali pois não teria a imparcialidade e Renan Calheiros devia seguir esse exemplo, ele é suspeito, tem filho que é governador de Estado". 

Diferente da conduta do pai, Jair Bolsonaro, que frequentemente é visto sem máscara e promovendo aglomerações, Flávio pediu ao presidente do Senado Rodrigo Pacheco (DEM-MG) mais segurança sanitária no Senado, já que a CPI é semi presencial: 

"Vamos investigar sim, mas vamos superar a crise primeiro? Vamos vacinar os brasileiros? Já perdemos três senadores pela Covid, assessores, funcionários da Casa. Quem vai se responsabilizar pelas possíveis mortes de senadores e funcionários? O presidente da Casa deveria tomar uma postura mais prudente e responsável para proteger as vidas". 

Últimas