R7 Planalto Frota quer CPI para investigar facada de Bolsonaro

Frota quer CPI para investigar facada de Bolsonaro

Deputado federal do PSDB-SP, de oposição ao chefe do Executivo, protocolou pedido de abertura nesta segunda-feira (13)

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7

Na imagem, deputado Alexandre Frota (PSDB-SP)

Na imagem, deputado Alexandre Frota (PSDB-SP)

Cleia Viana/Câmara dos Deputados

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) protocolou pedido de abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar o episódio da facada contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A informação foi compartilhada pelo parlamentar nas redes sociais. “Estou convencido de que foi uma armação”, disse Frota, antes apoiador e hoje oposição ao chefe do Executivo. São necessárias, ao menos, 171 assinaturas para a CPI ser instalada.

Bolsonaro, então candidato à presidência pelo PSL, foi esfaqueado no abdômen em 6 de setembro de 2018 durante campanha eleitoral na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais. O presidenciável estava sendo carregado por apoiadores quando foi atingido por uma faca. Desde então, tem realizado diversos procedimentos e cirurgias após o episódio. 

A última internação ocorreu em julho – Bolsonaro passou mal e deu entrada em um hospital em Brasília e, depois, foi transferido para São Paulo, para tratar de uma obstrução intestinal. Na ocasião, inclusive, o médico que o acompanhou em diversas cirurgias após a facada estava presente.

Adélio Bispo de Oliveira, autor do ataque contra Bolsonaro, foi julgado pela Justiça. No entanto, a defesa do presidente não recorreu da decisão que o considerou inimputável. Como o Ministério Público também não recorreu, a sentença transitou em julgado.

Últimas