R7 Planalto Fusão do DEM com PSL deve acabar com o 17 que elegeu Bolsonaro

Fusão do DEM com PSL deve acabar com o 17 que elegeu Bolsonaro

Novo partido, em fase final de tratativas, manterá o número do Democratas, 25. Anúncio está marcado para o dia 21 em Brasília 

  • R7 Planalto | Mariana Londres, do R7, em Brasília

Bolsonaro faz o número 7 em lançamento de candidatura em 2018 pelo PSL, 17

Bolsonaro faz o número 7 em lançamento de candidatura em 2018 pelo PSL, 17

Correio do Povo

O DEM (Democratas) e o PSL (Partido Social Liberal) devem anunciar a fusão dos partidos no próximo 21 de setembro, em Brasília. Políticos têm feito convites, de forma informal, para a cerimônia. Como ainda não há convites impressos, a data pode mudar conforme avancem, ou não, as tratativas finais do processo. 

A coalizão das duas legendas pode resultar na maior bancada na Câmara dos Deputados, com mais de 80 parlamentares. Isso porque o PSL tem 53 parlamentares, e o DEM, 28. Dessa forma, totalizariam 81 deputados.

O novo nome da sigla ainda não foi definido. Fontes relataram que o número, contudo, deve ser o 25, do DEM – o 17, do PSL, que elegeu o presidente Bolsonaro em 2018, será descartado. Mesmo se não houvesse fusão, nas eleições de 2022 o presidente não repetiria o número, já que deixou a legenda em novembro de 2019 e ainda está sem partido. 

A coalizão entre DEM e PSL ocorre em meio a divergências de filiados. Filiado ao DEM e ministro do Trabalho e da Previdência Social, Onyx Lorenzoni criticou uma nota divulgada por seu partido e o PSL, em conjunta, contra o discurso do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas manifestações de 7 de setembro.

Tanto o DEM como o PSL têm parlamentares bolsonaristas, e no caso do PSL, uma ala que rompeu como o presidente e hoje faz oposição. 

Últimas