Novo Coronavírus

R7 Planalto Fux defende reserva de 7 mil doses da vacina contra covid-19 para STF

Fux defende reserva de 7 mil doses da vacina contra covid-19 para STF

Presidente afirmou que Suprema Corte teve "preocupação ética" com pedido. Fiocruz, por sua vez, rejeitou solicitação nesta quarta

Resumindo a Notícia

  • Fux defende reserva de vacina para STF e CNJ
  • Fiocruz rejeitou pedido feito pelo diretor-geral do STF
  • Presidente disse que Suprema Corte teve 'preocupação ética'
  • Doses da vacina serão enviadas integralmente ao Ministério da Saúde
Na imagem, ministro Luiz Fux (STF)

Na imagem, ministro Luiz Fux (STF)

Nelson Jr./SCO/STF - 16.12.2020

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Luiz Fux, defendeu, na última quarta-feira (23), o pedido de reserva de 7 mil doses da vacina contra a covid-19 para funcionários da Suprema Corte e do CNJ (Conselho Nacional de Justiça).

“Nós fizemos, de toda forma delicada e ética, um pedido, dentro das possibilidades, quando todas as prioridades forem cumpridas, de que também os tribunais superiores, que precisam trabalhar em prol da covid-19, tenham meios para trabalhar e, para isso, precisam se vacinar”, afirmou Fux em entrevista à TV Justiça.

“Nós também temos que nos preocupar para não pararmos as instituições fundamentais do Estado, nem o Executivo, nem o Legislativo, nem o Judiciário, normalmente integrados por homens e mulheres que já têm uma certa maturidade”, acrescentou.

Fux disse, ainda, que não adiantar vacinar ministros e não servidores. “A difusão da doença seria exatamente a mesma”. O presidente argumenta que o STF “teve preocupação ética”.

O pedido da reserva de sete mil doses da vacina contra a covid-19 foi feito pelo diretor-geral do STF, Edmundo Veras dos Santos Filho. A Fiocruz, contudo, rejeitou a solicitação. “A produção dessas vacinas será, portanto, integralmente destinada ao Ministério da Saúde, não cabendo à Fundação atender a qualquer demanda específica por vacinas”, afirma a fundação.

Últimas