R7 Planalto Guedes diz que 16 milhões de brasileiros estarão isentos do IR

Guedes diz que 16 milhões de brasileiros estarão isentos do IR

Afirmação foi feita pelo ministro da Economia nesta sexta-feira (25) após entregar projeto de lei no âmbito da reforma tributária

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7

Na imagem, coletiva de imprensa sobre projeto

Na imagem, coletiva de imprensa sobre projeto

Reprodução Câmara dos Deputados

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que, com o projeto de lei entregue nesta sexta-feira (25) no âmbito da reforma tributária, cerca de 16 milhões de brasileiros estarão isentos do IR (Imposto de Renda).

“São 31 milhões de declarantes e 8 milhões estão isentos. Nós vamos aumentar essa faixa de isenção, de R$ 1.900 para R$ 2.500. Ou seja, outros 8 milhões de brasileiros estarão isentos. Então vão ser 16 milhões de brasileiros isentos no Imposto de Renda”, afirmou Guedes.

“O que nós estamos transformando em aumento de isenções é o componente estrutural. A gente sabe que estruturalmente o Brasil vai crescer uma taxa um pouco maior”, acrescentou o ministro.

A nova etapa da reforma tributária foi entregue ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), nesta sexta-feira (25). O evento contou, além de Guedes, com a participação dos ministros Luiz Ramos (Casa Civil) e Flávia Arruda (Secretaria de Governo).

De acordo com a proposta, amplia-se a faixa de isenção do Imposto de Renda das pessoas físicas dos atuais R$ 1.900 para R$ 2.500. O número, contudo, é baixo se comparado com a proposta defendida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), de R$ 5.000. O projeto de lei será analisado pela Câmara dos Deputados.

Para o ministro da Economia, o segundo capítulo da reforma tributária é um marco. “No sentido de que, por 40 anos, o Brasil aumentou os impostos sobre as empresas e, também por quatro décadas, aumentou os impostos sobre os assalariados. E, ao contrário, não teve a coragem de tributar os rendimentos de capital”, disse Guedes.

Lira, por sua vez, avalia que a reforma beneficiará muitos brasileiros, "seja pelo aumento da faixa de isenção do Imposto de Renda ou pelos investimentos, com a redução do IR para empresas". O presidente da Câmara dos Deputados disse ainda que tem muita confiança no plenário e acredita que a votação sobre o projeto pode ser feita ainda neste ano. A primeira fase da reforma tributária, por exemplo, ainda não foi votada. "Vamos ter um amplo debate, com o trabalho de todos os parlamentares, para aprovarmos as matérias infraconstitucionais. Haverá forte empenho desta Câmara", afirmou.

Últimas