R7 Planalto Heleno diz que GSI não produziu relatórios para Flávio Bolsonaro

Heleno diz que GSI não produziu relatórios para Flávio Bolsonaro

Afirmação consta em manifestação enviada nesta terça (15) ao Supremo Tribunal Federal. Senador é investigado por esquema de rachadinha

  • R7 Planalto | Clébio Cavagnolle, da Record TV, e Plínio Aguiar, do R7

Na imagem, ministro do GSI, Augusto Heleno

Na imagem, ministro do GSI, Augusto Heleno

Alan Santos/PR - 27.10.2020

O ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), Augusto Heleno, afirmou em manifestação enviada ao STF (Supremo Tribunal Federal) que o órgão não produziu relatórios que teriam sido feitos para ajudar a defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

A informação de que o GSI e a Abin (Agência Brasileira de Inteligência) fizeram relatórios de orientação para a defesa do filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi divulgada pela revista “Época".

Nesta segunda-feira (14), a ministra Cármen Lúcia, relatora do caso, solicitou ao GSI e Abin que se explicassem sobre o caso. Em resposta, Heleno disse que “trata-se de mera litigância de má-fé, cuja motivação política é latente e tem por escopo atingir a honra e a imagem dos envolvidos”.

Leia mais: PGR cobra Abin e GSI e vê como 'grave' relatórios a Flávio Bolsonaro

“As matérias são especulativas, sem nenhum lastro de veracidade e a ação judicial que nela se ampara padece dos mesmos vícios, razão pela qual não tem como prosperar. Utilizam-se ambas, levianamente, de caros instrumentos da democracia: a liberdade de expressão e o livre acesso ao Judiciário, numa nítida tentativa de criar obstáculos à governabilidade e manipular a opinião pública. Cabe-nos, enquanto cidadãos, repudiar tais excessos”, acrescentou.

"À guisa de conclusão, esta autoridade se contrapõe veementemente ao conteúdo das matérias jornalísticas e às ações que nelas se fundam, ressaltando que, conforme informações obtidas do Diretor da Abin, nenhum relatório foi produzido, pela agência, para orientar a defesa do senador Flávio Bolsonaro."

Últimas