Itamaraty retira status diplomático de representantes da Venezuela

Ministério disse que a declaração não equivale “à expulsão ou qualquer outra medida de retirada compulsória do território nacional”

Na imagem, ministro Ernesto Araújo (Itamaraty)

Na imagem, ministro Ernesto Araújo (Itamaraty)

Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O Ministério das Relações Exteriores declarou, nesta sexta-feira (4), representantes, consulares e administrativos da Venezuela, país governado por Nicolás Maduro, como “personae non gratae”. Na prática, o governo retirou o status diplomáticos de venezuelanos.

“A declaração de persona non grata, instrumento jurídico amplamente reconhecido e utilizado nas relações exteriores, é prerrogativa que os Estados possuem para indicar que um representante oficial estrangeiro não é mais bem-vindo como tal em seu território, conferindo ao país que enviou tal representante a prerrogativa de retirá-lo do país receptor, podendo também o funcionário permanecer no país sem status diplomático ou consular nem imunidades e privilégios correspondentes”, afirma a nota.

Leia mais: Bolsonaro renova compromisso com Juan Guaidó da Venezuela

O Itamaraty diz, ainda, que a declaração não equivale “à expulsão ou qualquer outra medida de retirada compulsória do território nacional”.