R7 Planalto Janaína Paschoal apresenta projeto de lei feminazi

Janaína Paschoal apresenta projeto de lei feminazi

Pela proposta da deputada, homens seriam proibidos de dar banho em crianças de escolas de educação infantil, o que evitaria abusos e pedofilia 

  • R7 Planalto | Marco Antonio Araujo, do R7

O projeto da parlamentar paulista vai transitar em regime de urgência

O projeto da parlamentar paulista vai transitar em regime de urgência

Moreira Mariz/29.04.2016/Agência Senado

A deputada estadual Janaina Paschoal (SP) apresentou projeto de lei que proíbe homem de dar banho em criança nas escolas de educação infantil. À primeira vista razoável, o argumento central é que dessa forma estaremos protegendo nossos pequenos de pedófilos e abusadores.

Que mãe não se preocupa com a integridade física de seus filhos, ainda mais quando são bebês ou ainda têm dificuldade de se defender e se expressar com palavras? Mas basta um olhar menos paranoico para perceber que não é proibindo a existência de cuidadores do sexo masculino que vamos diminuir a incidência de abuso infantil.

O máximo que se conseguirá com essa iniciativa, caso vingue, é estigmatizar os profissionais, prejulgando-os indistintamente e reforçando uma visão de que todo homem é um tarado em potencial, indigno de confiança. Sem falar que quase todas as escolas paulistas dispõem de circuito interno de câmeras.

Curioso é que o projeto se baseia em um discurso, a rigor, feminazi — aquele, de esquerda talibã, tão debochado pela deputada que se elegeu com dois milhões de votos conservadores, antivitimistas e avessos a discursos identitários. O mundo, realmente, dá voltas e piruetas mentais.

Como alertado em manifesto de educadores, o projeto de lei "só reforça o processo de desigualdade de gênero, delineando a exclusão". Fora ignorar que a pedofilia não é exclusividade de homens, embora a incidência em mulheres seja menos comum (ou menos divulgada). Mas a culpa é sempre do macho — não é o que dizem as feminazis? Quem diria, né? Logo a Janaína.

Últimas