R7 Planalto Lira defende o PDT: 'deputados votaram em defesa da educação'

Lira defende o PDT: 'deputados votaram em defesa da educação'

Presidente da Câmara não acredita em mudança de votos do partido para o segundo turno e explica acordo para educação

  • R7 Planalto | Mariana Londres, do R7, em Brasília

Presidente da Câmara defendeu a decisão do partido de apoiar a PEC dos Precatórios

Presidente da Câmara defendeu a decisão do partido de apoiar a PEC dos Precatórios

Cleia Viana/Câmara dos Deputados - 14.09.2021

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), defendeu nesta quinta-feira (4) a conduta dos deputados do PDT, que foram criticados por outros partidos da oposição pelo voto favorável à PEC dos Precatórios. Ciro Gomes, pré-candidato à Presidência pelo PDT, suspendeu a pré-candidatura até uma mudança de posição para o segundo turno de análise da matéria. 

"Dois deputados que convivo, admiro e respeito na Câmara dos Deputados são André Figueiredo e Wolney Queiroz [vice-líder e líder do PDT]. Tudo que eles pediram foi em defesa da Educação. Respeitamos  posicionamentos políticos e seus líderes explicarão para quem puder ouvir."

O presidente da Câmara explicou o acordo que foi firmado e que virou os votos de parte do PDT em favor da PEC. 

"Fizemos um acordo com a Frente Nacional do Norte e Nordeste em defesa da Educação através de um acordo claro, transparente, proposto pelo PDT com anuência do seu líder, e o acordo foi realizado em plenário onde nós nos comprometemos a votar uma PEC que traga o programa de assistência básica de uma maneira constitucional, além de pautar outro projeto da priorização de 60% dos precatórios em Educação".  

Lira não acredita em uma mudança de posição dos partidos após a repercussão negativa da votação, nem mesmo por parte do PDT, alvo de grande parte das críticas. 

"Eu acho que o PDT tem tranquilidade e terá a temperança de deixar a poeira baixar esse final de semana e os seus líderes explicarão pra quem quiser puder ou se dispor a ouvir e quando ouvir [entenderão] que quem ninguém foi mais beneficiado neste texto por exemplo do que governadores de Estado?"

Últimas