Mesa da Câmara encaminha à Corregedoria caso de Flordelis

Grupo também liberou um projeto de resolução que visa reativar o Conselho de Ética para, em breve, analisar a situação da deputada federal

Na imagem, a deputada federal Flordelis

Na imagem, a deputada federal Flordelis

Michel Jesus/ Câmara dos Deputados - 22.05.2019

A Mesa Diretora da Câmara dos Deputados deliberou, nesta terça-feira (1º), enviar à Corregedoria o processo de cassação do mandato da deputada federal Flordelis (PSD-RJ), denunciada como a mandante do assassinato do marido.

Os documentos serão analisados pelo corregedor, deputado federal Paulo Bengtson (PTB-PA), que deve enviar o relatório na próxima semana. Em seguida, remete o parecer à Mesa Diretora que, se julgar procedente, encaminha para análise do Conselho de Ética. Depois, o caso deve ser apreciado por todos os 513 deputados.

Entenda o envolvimento de Flordelis no assassinato do marido

As atividades do Conselho de Ética, contudo, estão paralisadas em decorrência da pandemia do novo coronavírus. A Mesa liberou, portanto, um projeto de resolução que visa reativar o grupo para, em breve, analisar o caso Flordelis.

De acordo com o corregedor, o Ministério Público do Rio de Janeiro e as delegacias de homicídios de São Gonçalo, Niterói e Itaboraí não enviaram, ainda, os documentos para a Câmara.

A parlamentar, do Rio de Janeiro, foi denunciada pelo MP no dia 24 por suspeita de ser a mandante do assassinato de seu ex-marido, o pastor Anderson do Carmo. Flordelis foi acusada pela Promotoria de homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, associação criminosa, uso de documento falso e falsidade ideológica. A suspeita nega todas as acusações.

Veja também: Caso Flordelis: como deputada conseguiu 'adotar' mais de 50 filhos?

A Mesa Diretora também definidiu a reativação de outras comissões: Comissão de Constituição e Justiça, Finanças e Tributação e Fiscalização e Controle.