Ministério investe R$ 600 mil em pesquisa de BCG contra covid-19

A vacina é aplicada logo no nascimento para prevenir formas graves de tuberculose em crianças. Secretário ressalta que é apenas uma hipótese

Vacina é aplicada no nascimento para prevenir formas graves de tuberculose

Vacina é aplicada no nascimento para prevenir formas graves de tuberculose

Divulgação MCTIC

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações investiu R$ 600 mil a um grupo de cientistas que vão testar o uso da BCG contra a covid-19.

A vacina é aplicada logo no nascimento para prevenir formas graves de tuberculose em crianças. No entanto, dados recentes têm demonstrado que países que mantem o uso da BCG apresentaram menores proporções de casos de coronavírus em comparação com nações que suspenderam o uso da vacina.

Leia mais: Pesquisadores estudam os efeitos da vacina da tuberculose sobre o coronavírus

Dessa forma, a hipótese de a vacina BCG atenuar os efeitos da covid-19 foi aventada na comunidade científica. Para confirmar a suposição, o Ministério repassou a verba a um grupo de cientistas.

“O estudo vai avaliar. Por enquanto é apenas uma hipótese. Só depois de concluídos trabalhos é que teremos dados suficientes para avaliar se a vacina BCG exerce algum tipo de proteção contra a covid-19”, explicou o secretário de Políticas para Formação e Ações Estratégicas, Marcelo Morales.

Veja também: Com demissão iminente de Mandetta, secretário se despede

A verba será usada na realização de ensaios clínicos, que demandam aquisição de insumos para a execução das rotinas clínicas e laboratoriais, e de equipamento de informática para registro e análise de dados. Além disto, será montada equipe treinada para a execução dos estudos.