Ministro Weintraub presta depoimento à PF e fica em silêncio

Ministro da Educação falou à PF no inquérito de fake news antes de decisão sobre habeas corpus por fala em reunião ministerial do dia 22 de abril 

Weintraub presta depoimento à PF antes de decisão sobre hc

Weintraub presta depoimento à PF antes de decisão sobre hc

Wilson Dias/Agência Brasil

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, prestou depoimento na manhã desta sexta-feira (29) à Polícia Federal no Ministério da Educação. O depoimento ocorreu antes mesmo da manifestação da PGR (Procuradoria Geral da República) sobre pedido de habeas corpus preventivo impetrado pelo governo e os investigadores da PF foram até o ministério. O ministro permaneceu em silêncio durante a oitiva. 

Weintraub foi intimado a depor por ter dito em reunião ministerial que "colocaria todos esses vagabundos na cadeia, começando no STF" no âmbito do inquérito das fake news, conduzido pelo ministro Alexandre de Moraes e aberto de ofício pelo STF.

Moraes dá 5 dias para Weintraub explicar fala sobre ministros do STF

O pedido de habeas corpus preventivo foi feito pelo ministro da Justiça, André Mendonça, ao STF, para tentar impedir o depoimento de Weintraub. Segundo Mendonça, o recurso tem como objetivo “garantir liberdade de expressão dos cidadãos”. O relator do pedido é o ministro Edson Fachin, que o remeteu à PGR e ao ministro Alexandre de Moraes para que se manifestassem em até 24 horas antes de tomar a decisão final.