R7 Planalto Movimento suprapartidário defende tramitação conjunta de 2ª instância

Movimento suprapartidário defende tramitação conjunta de 2ª instância

Segundo o grupo, 'não existe nenhuma incompatibilidade entre os três projetos' que poderiam tramitar simultaneamente na Câmara e no Senado

STF definiu que não poderia haver prisão após segunda instância

STF definiu que não poderia haver prisão após segunda instância

STF

Um movimento suprapartidário trabalha para tentar uma tramitação conjunta dos projetos de prisão em segunda instância.

Segundo o grupo, "não existe nenhuma incompatibilidade entre os três projetos e podem tramitar simultaneamente", o que possibilitaria uma maior agilidade na aprovação.

O movimento suprapartidário Muda Senado, a Frente Parlamentar Mista Ética contra a Corrupção, os partidos Cidadania, NOVO e Podemos estão unidos para pautar o Projeto de Lei 166, do senador Lasier Martins (Pode-RS), do Projeto de Lei 5932, do deputado federal Gilson Marques (Novo-SC)  e da Projeto de Emenda à Constituição 199, do deputado federal Alex Manente(Cidadania-SP).

Segundo o grupo, "a sociedade brasileira exige a urgente retomada da possibilidade de prisão após condenação em segunda instância".