R7 Planalto MPF e Cade pedem que WhatsApp adie nova política de privacidade

MPF e Cade pedem que WhatsApp adie nova política de privacidade

Reguladores brasileiros fizeram recomendações à empresa. Eles temem que nova política viole direitos dos usuários

  • R7 Planalto | Clébio Cavagnolle, da Record TV, com Mariana Londres

MPF e Cade pedem que WhatsApp adie nova política de privacidade

MPF e Cade pedem que WhatsApp adie nova política de privacidade

Pixabay

O MPF (Ministério Público Federal), o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), a ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados) e a Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor) enviaram nesta sexta-feira (7) ao WhatsApp e ao Facebook um pedido de adiamento da entrada em vigor da nova política de privacidade, prevista para 15 de maio, para que as empresas se adaptem às recomendações feitas pelos órgãos reguladores. 

Os reguladores também pedem que o consumidor não tenha funcionalidades bloqueadas e mantenha o acesso às mensagens e arquivos caso opte por não aderir às novas políticas de privacidade. 

Na recomendação, os órgãos apontam que a política de privacidade e as práticas de tratamento de dados apresentadas pelo WhatsApp podem representar violações aos direitos dos titulares de dados pessoais. Os órgãos ainda demonstraram preocupação com os potenciais efeitos sobre a concorrência decorrentes da nova política e com a ausência de informações claras sobre que dados serão tratados e a finalidade das operações de tratamento que serão realizadas.

Em janeiro deste ano, o WhatsApp anunciou que promoveria mudança em sua política de privacidade. Na nova versão, o aplicativo de mensagens detalha práticas de tratamento de dados pessoais dos usuários e autoriza o compartilhamento dessas informações com as empresas do grupo econômico do Facebook, da qual o WhatsApp também faz parte. 

Últimas