Novo Coronavírus

R7 Planalto MPF pede ao governo ações para combate à covid em terra indígena

MPF pede ao governo ações para combate à covid em terra indígena

O governo federal e a Funai têm até 15 de julho para informar acerca do acatamento da recomendação, bem como as providências adotadas

  • R7 Planalto | Clebio Cavagnolle, da Record TV, com Plínio Aguiar, do R7

Recomendação foi enviada ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello

Recomendação foi enviada ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello

REUTERS/Adriano Machado - 09/06/2020

O MPF (Ministério Público Federal) recomendou nesta segunda-feira (13) ao governo federal que adote providências urgentes para impedir a proliferação da covid-19 na Terra Indígena Parque do Tumucumaque, localizada no Amapá e Pará.

A recomendação foi enviada aos ministros Fernando Azevedo e Silva (Defesa), Eduardo Pazuello (Saúde) e ao presidente da Funai (Fundação Nacional do Índio), Marcelo Augusto da Silva.

Leia mais: Covid-19 já atinge quase um terço das etnias indígenas, diz comitê

No documento, o MPF apresenta sete demandas a serem cumpridas imediatamente com o objetivo de evitar a propagação da covid-19 no território. Entre elas, está o pedido para que os ministérios adotem as providências cabíveis para garantir o direito de participação dos povos indígenas da TI Parque do Tumucumaque no planejamento, na organização e na execução da Ação Interministerial de Apoio à Pandemia de Covid-19. Pede ainda que sejam respeitados, integralmente, a organização social, os costumes, as línguas, as crenças e as tradições dos povos tradicionais que ocupam a referida TI.

Além disso, o MPF requer que seja limitado o número de profissionais que participarão das ações somente àqueles indispensáveis para o alcance das suas finalidades, para que haja a garantia do direito à saúde dos povos indígenas.

Veja também: Índios do Amazonas se isolam na mata para fugir da covid-19

O MPF ressalta que a recomendação deve ser cumprida imediatamente, a partir do seu recebimento, destacando-se que seu descumprimento poderá caracterizar inobservância de norma de ordem pública, incumbindo ao MPF propor as ações judiciais cabíveis. O governo federal e a Funai têm até 15 de julho para informar acerca do acatamento da recomendação, bem como as providências adotadas.

Últimas