"Não desistam, estudem", diz Weintraub após manter Enem

Ministro da Educação argumenta não haver necessidade para o adiamento do exame. Provas físicas estão previstas para 1º e 8 de novembro

Weintraub disse que não há intenção de mudar calendário do Enem

Weintraub disse que não há intenção de mudar calendário do Enem

RENATO COSTA /FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Após anunciar a manutenção do calendário do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), o ministro Educação, Abraham Weintraub, afirmou nesta terça-feira (5) aos candidatos que “não desistam, estudam”.

As provas físicas estão previstas, inicialmente, para 1º e 8 de novembro. Já o digital, alterado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), 22 e 29 de novembro.

Weintraub argumenta que adiar o exame para marcou ou abril, por exemplo, significar “perder um ano”. “Eles querem é acabar com as expectativas de cinco milhões de brasileiros”, disse.

Leia mais: 'Não há cabimento em manter o calendário do Enem', afirma Tabata

Defensores do adiamento do Enem, em decorrência da pandemia do novo coronavírus, argumentam que há disparidade educacional no Brasil, com diversos alunos sem acesso à internet, o que dificulta um ensino igualitário, entre outros pontos. “E quem não tinha (internet) em 2015, 16? Demos recurso para as escolas terem internet”, disse o ministro.