Coronavírus

R7 Planalto "Não vamos admitir ficar para trás", diz Tebet sobre vacinação em março

"Não vamos admitir ficar para trás", diz Tebet sobre vacinação em março

Senadora criticou nesta quinta (3) perspectiva de imunização da população brasileira contra covid-19 no final do primeiro trimestre de 2021

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7

Na imagem, senadora Simone Tebet (MDB-MS)

Na imagem, senadora Simone Tebet (MDB-MS)

Jefferson Rudy/Agência Senado – 19.02.2020

A senadora Simone Tebet (MDB-MS), presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), criticou a perspectiva de imunização da população brasileira contra a covid-19 em março de 2021 e afirmou que “não irá admitir ficar para trás”.

“Dizer que nós só poderemos vacinar em março, num país que tem expertise, e consegue, com a capilaridade que temos juntamente com estados e municípios, vacinar em 20, 30 dias a população brasileira? Começar em março por quê?”, indagou a senadora.

Leia mais: Vacina pode chegar ao Brasil até março, diz presidente da Pfizer

“O Brasil tem capacidade de vacinar. O Brasil tem expertise. Nós não vamos admitir ficar para trás. O Reino Unido começa a vacinação em dezembro, a Europa, em janeiro. Nós precisamos, no mais tardar, na primeira semana de fevereiro aprovar quantas vacinas forem consideradas eficientes e que elas possam estar à disposição da população brasileira”, afirma.

Para Tebet, “toma quem quer” (a vacina contra covid-19). “O que não podemos, jamais, é ter um cidadão brasileiro querendo tomar a vacina e ter que esperar até 2022. Até lá podemos perder a vida desse mesmo cidadão.”

Veja também: Rede privada não deve ter vacina contra coronavírus em 2021

A vacina desenvolvida pela Pfizer contra a covid-19 deve estar disponível já para uso no Brasil no 1º trimestre do ano que vem, segundo o presidente da farmacêutica no país, Carlos Murillo. “Ou seja, do momento em que o produto chega ao país até ser aplicado seriam 20 dias”, disse Murillo, em evento online na tarde desta quinta-feira (12), na Academia Nacional de Medicina sobre imunizantes em desenvolvimento.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas