STF

R7 Planalto Nunes Marques, do STF, nega prisão de deputados de oposição

Nunes Marques, do STF, nega prisão de deputados de oposição

Ministro arquivou ação, movida por vereador de Vitória (ES), contra os parlamentares Freixo, Salomão, Frota, Pimenta e Joice

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7

Na imagem, ministro Nunes Marques (STF)

Na imagem, ministro Nunes Marques (STF)

Fellipe Sampaio/SCO/STF - 05.11.2020

O ministro Nunes Marques, do STF (Supremo Tribunal Federal), arquivou uma ação que pedia a prisão e inclusão de parlamentares de oposição ao governo federal no inquérito das fake news, que tramita na Corte.

A ação foi movida pelo vereador de Vitória Gilvan da Federal (Patriota-ES), apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), contra os deputados federais Marcelo Freixo (PSB-RJ), Helder Salomão (PT-ES), Alexandre Frota (PSDB-SP), Paulo Pimenta (PT-RS) e Joice Hasselmann (PSL-SP).

No documento, o vereador afirma que os parlamentares proferiram palavras que atacaram a honra de Bolsonaro. Na sequência, pede a inclusão dos citados no inquérito e as respectivas prisões.

No entanto, Nunes Marques acolheu manifestação da PGR (Procuradoria-Geral da República), comandada por Augusto Aras, negou provimento e determinou o arquivamento, no último dia 3.

Bolsonaro x Inquérito das Fake News

Bolsonaro é investigado pelo STF no mesmo inquérito. No início de agosto, o ministro Alexandre de Moraes atendeu pedido do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e determinou a instauração de investigação contra o presidente Bolsonaro em razão das alegações sobre fraudes nas urnas eletrônicas no inquérito das fake news.

A solicitação foi feita após live realizada pelo chefe do Executivo no mês anterior, quando apresentou vídeos já desmentidos e declarações infundadas sobre supostas fraudes no sistema eletrônico de votação, além de promover ameaças às eleições de 2022.

Últimas