R7 Planalto Pacheco oficializa candidatura à presidência do Senado Federal

Pacheco oficializa candidatura à presidência do Senado Federal

Senador pelo DEM-MG, apoiado por Alcolumbre e Bolsonaro, fala sobre defesa da democracia e independência da Casa

Na imagem, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG)

Na imagem, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG)

Marcos Oliveira/Agência Senado

O senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) divulgou, nesta terça-feira (19), um documento em que oficializa sua candidatura à presidência do Senado Federal, cuja eleição irá ocorrer em 1º de fevereiro de forma presencial, e fala sobre defesa da democracia, garantia das liberdades e independência da Casa.

“Reconheço a necessidade de se manterem os méritos e os avanços da gestão atual, e estou ciente de que os novos desafios do Brasil demandarão novas soluções, para as quais empenharei esforços na exata medida em que me comprometo com bases que sucintamente elenco”, diz Pacheco.

Na sequência, informa os oito temas com os quais se compromete: defesa da democracia, preservar a independência do Senado, garantias das liberdades, buscar a unificação das instituições e pacificação da sociedade brasileira.

Sociedade justa e livre, desprovida de preconceitos e discriminação de qualquer espécie, reformas e proposições necessárias para o desenvolvimento do país ao plenário da Casa e o trinômia saúde pública, crescimento econômico e desenvolvimento social também estão entre os pontos elencados.

Pacheco é o nome do bloco do atual presidente Davi Alcolumbre (DEM-AP) e tem a simpatia do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O democrata conta com o apoio de nove partidos – PSD, DEM, PP, PL, PT, RSC, PDT, Pros e Republicanos. Dessa forma, teoricamente, o senador tem os votos necessários para ganhar a disputa (41).

No entanto, a votação é secreta, o que pode gerar traição dentro das legendas. E essa dissidência de parlamentares no pleito é a aposta de sua principal concorrente, a senadora Simone Tebet (MDB-MS), que já conta com o apoio do Podemos, a terceira maior bancada da Casa, e alguns senadores do grupo Muda Senado, voltado para a pauta de combate à corrupção.

Últimas