CPI da Covid

R7 Planalto 'Para agradar presidente, Hang esqueceu que tem mãe', diz Aziz

'Para agradar presidente, Hang esqueceu que tem mãe', diz Aziz

Presidente da CPI disse que não há tempo para ouvir Queiroga novamente e que Jair Renan é apenas um 'menino mimado'

  • R7 Planalto | Clébio Cavagnolle, da Record TV

Senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da Covid

Senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da Covid

Jefferson Rudy/Agência Senado - 22.09.2021

Para o presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), a associação feita entre a Prevent Senior e o tratamento contra a Covid-19, com números incorretos sobre os óbitos, levou muitos pacientes a serem induzidos ao erro em relação ao tratamento. Aziz citou nominalmente o empresário Luciano Hang.

"Quando o presidente [Bolsonaro] faz a propaganda e diz que a Prevent Senior tinha um protocolo e que o número de óbitos era pequeno, muitas pessoas procuram se associar à Prevent Senior. Eles não admitem o protocolo, mas tinham. É impressionante, não gosto de falar disso porque se trata de mãe, mas tem gente que para bajular o o presidente até esquece que tem mãe. Foi o caso do Luciano Hang, que com as condições que ele tem poderia mandar a mãe até para a lua, e não ia levar para a Prevent Senior porque há outros hospitais com mais estrutura, inclusive para comorbidades que ele disse que ela tinha".

Hang se pronunciou sobre o assunto nesta quinta (23). Para ele, a morte da mãe é usada como 'artifício político' por membros da CPI e diz ter total confiança na Prevent Senior

Aziz falou dos indícios de que a Prevent Senior alterava a causa da morte dos pacientes para ocultar que tivessem morrido em decorrência da Covid-19. O senador falou ainda sobre os próximos passos da CPI da Covid, que ele espera que termine o trabalho em dez dias.

"Temos hoje provas suficientes do gabinete paralelo, de propagação de remédios não comprovados cientificamente para covid, temos provas que o Brasil não teve interesse em comprar vacinas".

O presidente do colegiado defende que Queiroga não seja ouvido novamente: 

"Queiroga vai passar 14 dias nos EUA e depois vai fazer uma quarentena no Brasil, então não dá para a CPI parar para ouvir o Queiroga. O que ele tinha feito já foi desfeito, já tem autorização para vacinas adolescentes, ele já foi desmoralizado nessa questão".

Sobre uma eventual oitiva de Jair Renan, o filho 04 de Bolsonaro, Aziz disse que é contrário à convocação, mas que a decisão será do colegiado da CPI. 

"Vejo esse garoto como menino mimado, que não sabe que o poder passa, mas a nossa vida continua. Acho mais uma empolgação, achando que aquilo é permanente. Garoto empolgado que aproveitadores chegam perto e ele acha que é autoridade. Ir à CPI falar o quê? Acho que o Carlos Bolsonaro seria mais importante, mas não chamamos". 

"Temos hoje provas suficientes do gabinete paralelo, de propagação de remédios não comprovados cientificamente para covid, temos provas que o Brasil não teve interesse em comprar vacinas".

Últimas