CPI da Covid

R7 Planalto Passeios de Bolsonaro não constam na agenda oficial, diz Planalto

Passeios de Bolsonaro não constam na agenda oficial, diz Planalto

Saídas do chefe do Executivo são alvo de requerimento, de autoria de senador governista Eduardo Girão, da CPI da Covid

Bolsonaro passeia no Dia das Mães em Brasília

Bolsonaro passeia no Dia das Mães em Brasília

Cláudio Marques / Estadão Conteúdo / 09.05.2021

A Presidência da República informou à CPI da Covid que os passeios feitos por Jair Bolsonaro pelo comércio de Brasília e entorno do Distrito Federal não fazem parte de sua agenda oficial.

“Outrossim, informo a Vossa Excelência que eventuais deslocamentos do senhor presidente da República, no período indicado, realizados em caráter privado não fazem parte de sua agenda oficial”, afirma.

O documento é assinado por Célio Faria Júnior, chefe do gabinete pessoal de Bolsonaro, e é uma resposta ao requerimento protocolado pelo senador governista Eduardo Girão (Podemos-CE), que pediu informações oficias sobre os passeios feitos por Bolsonaro a partir de 1º de março de 2020. 

Durante as discussões da CPI, senadores oposicionistas e independentes apontaram em vários momentos que o presidente promoveu aglomerações e estava sem máscara em aparições públicas. O senador Tasso Jereissatti (PSDB-CE), membro do colegiado, chegou a dizer na sessão desta terça-feira (18) que o partido entrará com uma ação obrigando Bolsonaro a usar máscara em eventos que usem recurso público. 

Bolsonaro fez diversos passeios, principalmente aos finais de semana, em Brasília. Por ser presidente, se faz necessário o uso de segurança, logo, da estrutura da máquina pública. Imagens tiradas por fotógrafos oficiais cadastradas no Flickr da Presidência também mostram o chefe do Executivo em momentos de lazer.

O requerimento foi alvo de crítica por parte de Bolsonaro. “Recebo agora documentos da CPI para dizer onde eu estava nos meus últimos finais de semana. Não interessa onde eu estava. Respeito a CPI. Estive no meio do povo, tenho que dar exemplo”, disse.

“É fácil para mim ficar no Palácio do Alvorada, tem tudo lá. Não posso, sem ouvir o povo, tomar conhecimento do que eles sentem e do que eles querem. Vou continuar andando em comunidade sem Brasília. Alguns acham que vou passear. Não, vou continuar a fazer tudo que aqueles me criticam deveriam fazer”, acrescentou.

Últimas