Paulo Guedes esbanja otimismo, e até o FMI concorda

Cabe ao ministro da Economia elevar o moral dos agentes econômicos – mas até o Fundo Monetário Internacional traça boas expectativas para o Brasil

Paulo Guedes projeta crescimento de 2,5% do PIB brasileiro

Paulo Guedes projeta crescimento de 2,5% do PIB brasileiro

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Quem faltava, chegou: o FMI. Por mais que análises pessimistas vindas da oposição insistam em apontar os enormes desafios econômicos que o Brasil precisa enfrentar, o ministro Paulo Guedes não tem do que reclamar. O Fundo Monetário Internacional, antigo portador de péssimas notícias, veio somar-se ao coro dos otimistas.

Segundo projeções do Fundo para o crescimento da economia global em 2020, o Brasil é uma rara exceção em um quadro que, sim, é preocupante e exige cuidados. Para a nossa economia, houve uma revisão para cima em relação ao último prognóstico, feito em outubro passado.

O FMI prevê crescimento de 2,2%, acima da média da região (1,6%). Pode parecer pouco, mas deixa para trás os pibinhos dos últimos anos de recessão. Finalmente, é o que se indica, recuperamos algum fôlego para seguir adiante.

Guedes, por sua vez, aproveitou a presença no Fórum Econômico Mundial, em Davos, nesta terça-feira (21), para animar ainda mais a plateia dos que acreditam que o pior já passou. Para o ministro, este ano nos reserva um crescimento de 2,5% no PIB, acima da última revisão realizada pela sua pasta, que projetava alta de 2,4%.

Claro que cabe ao ministro da Economia enaltecer cenários positivos e elevar o moral dos agentes econômicos. Sem boas expectativas, não há investimentos – nem novos empregos. Nessa tarefa de semear esperança, Paulo Guedes não está sozinho.