R7 Planalto PF marca depoimento de Ciro Nogueira para 29 de novembro

PF marca depoimento de Ciro Nogueira para 29 de novembro

Informação consta em documento enviado pela corporação ao Supremo Tribunal Federal na última quarta-feira (10)

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7

O ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira

O ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira

Edilson Rodrigues/Agência Senado - 13.05.2021

Em documento encaminhado nesta quarta-feira (10) ao STF (Supremo Tribunal Federal), a PF (Polícia Federal) solicitou que os autos do processo que apura irregularidades no PP (Partido Progressista) fiquem com a corporação até o fim do mês de novembro. A solicitação ocorre, de acordo com a PF, por causa do depoimento marcado do ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, para o dia 29, às 11h.

“Dessa forma, respeitosamente, solicito a Vossa Excelência autorização para que os autos do referido INQ 4736 possam permanecer na Polícia Federal, até a data da oitiva já agendada com a defesa do investigado”, diz o documento, obtido pelo R7 Planalto.

A corporação informa a ministra Rosa Weber, relatora do inquérito na Suprema Corte, que já ouviu Edinho Silva, prefeito de Araraquara, município do interior paulista, que também é investigado. Após o depoimento do ministro da Casa Civil, o órgão pretende apresentar o relatório final.

Inquérito

O inquérito apura suposto recebimento de vantagens indevidas pelo PP, partido de Nogueira, para apoiar a reeleição de Dilma Rousseff (PT) em 2014 e não agir contra a ex-presidente no processo de impeachment instaurado no Congresso Nacional.

O pedido de instauração de inquérito é baseado na colaboração premiada de empresários do Grupo J&F. De acordo com a PGR (Procuradoria-Geral da República), Nogueira teria recebido pagamento de dinheiro ilícito em duas situações. Em uma delas, o valor teria sido de R$ 42 milhões.

O R7 entrou em contato com a Casa Civil, mas não obteve retorno até a atualização mais recente deste texto.

Últimas