PGR vai investigar troca do superintendente da PF no Rio 

Análise faz parte do inquérito aberto para investigar suposta interferência política de Bolsonaro na Polícia Federal

PGR investigará troca do superintendente da PF no Rio

PGR investigará troca do superintendente da PF no Rio

Dida Sampaio/ Estadão Conteúdo - 26.09.2019

A Procuradoria-Geral da República (PGR) vai investigar os motivos para a troca no comando da Polícia Federal no Rio de Janeiro, confirmada nesta terça-feira (5) pelo presidente Jair Bolsonaro.

Essa análise faz parte do inquérito aberto pelo STF (Supremo Tribunal Federal) para investigar a suposta interferência política do presidente Jair Bolsonaro na autonomia da Polícia Federal. Não se trata, portanto, de um novo pedido, mas, na avaliação técnica da PGR, não há como investigar os fatos do inquérito sem analisar a troca. 

A tentativa de Bolsonaro de interferir na PF foi o motivo alegado pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro para a sua própria demissão. O inquérito que investiga a denúncia de Moro (4.831) foi aberto no STF a pedido da PGR. No inquérito, Aras pediu que a PF ouça três ministros de Estado e uma deputada após denúncias de Moro.