Presidente do Banco do Brasil defende privatização da instituição

Afirmação foi dada por Rubem Novaes em audiência pública na comissão mista que acompanha as ações de enfrentamento ao novo coronavírus

Na imagem, o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes

Na imagem, o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes

Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

O presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, defendeu nesta segunda-feira (8) a privatização da instituição.

“As pessoas imaginam que o Banco do Brasil seria comprado por um grande banco estrangeiro, por exemplo. Não é nada disso. O BB já tem 50% de suas ações em mãos privadas. É só vender mais um pouco e vira uma instituição privada. É só fazer do banco uma corporation (corporação) com muitos sócios”, disse.

Leia mais: Em vídeo, Paulo Guedes defende privatização do Banco do Brasil

A afirmação foi dada por Novaes durante audiência pública na comissão mista de deputados federais e senadores que acompanha as ações de enfrentamento ao novo coronavírus. Na ocasião, o presidente citou uma frase dita pelo bilionário Bill Gates para justificar a privatização do BB. “A atividade bancária é necessária, mas os bancos não são necessários”, comentou.

“A minha dúvida é, se com as amarras do setor público, nós vamos poder ter velocidade de transformação que nos permita uma adaptação a esse novo mundo tecnológico. Eu, sinceramente, desconfio que não”, acrescentou. Depois, fez críticas ao regimento. “As decisões aqui são todas demoradas, tem que passar pelo TCU, Secom, CGU.”