Presidente do INSS pede demissão do governo Bolsonaro

O cargo será ocupado pelo secretário de Previdência, Leonardo Rolim. O órgão enfrenta uma crise com filas de espera para concessão de benefícios

Leonardo Rolim irá ocupar o cargo de presidente do INSS

Leonardo Rolim irá ocupar o cargo de presidente do INSS

Ed Ferreira / Estadão Conteúdo / 20.07.2012

O presidente do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), Renato Vieira, pediu demissão para tratar de assuntos pessoais. O cargo será ocupado pelo então secretário de Previdência, Leonardo Rolim.

A troca no comando do INSS foi anunciada nesta terça-feira (28) pelo secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho.

Leia mais: Dois meses após reforma, governo tenta reduzir fila de 1,2 mi do INSS

Desde o fim de 2019, o órgão enfrenta uma crise com filas de espera para concessão de benefícios. Atualmente, o INSS tem 1,9 milhão de processos acumulados. Na tentativa de minimizar o problema, o governo federal afirma que irá editar uma medida provisória, em até uma semana, para permitir a contratação de servidores aposentados.

Marinho aponta que quase sete mil funcionários do INSS se aposentaram no ano passado. Desses, 1,5 mil eram concessores de benefício – não haverá, contudo, uma convocatória, mas sim edital para os interessados.

Essa é a segunda demissão do governo federal nesta terça. Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) exonerou Vicente Santini após este usar um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) para uma viagem oficial. Neste caso, o cargo de secretário-executivo da Casa Civil será ocupado por Fernando Moura.