R7 Planalto PSOL aciona Justiça contra aumento salarial de Bruno Covas em SP

PSOL aciona Justiça contra aumento salarial de Bruno Covas em SP

Prefeito reeleito da capital paulista sancionou nesta quinta-feira (24) próprio acréscimo de mais de R$ 10 mil no salário

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7

Resumindo a Notícia

  • PSOL aciona Justiça contra aumento salarial de Covas em SP
  • Prefeito reeleito vai ganhar R$ 35.462
  • Votação na Câmara se deu mediante a manobra
  • Covas sancionou próprio aumento nesta quinta (25)
Na imagem, prefeito reeleito Bruno Covas (PSDB)

Na imagem, prefeito reeleito Bruno Covas (PSDB)

MISTER SHADOW / ASI / ESTADÃO CONTEÚDO - 29.11

A vereadora eleita Erika Hilton e a bancada do PSOL da Câmara Municipal de São Paulo acionaram, nesta quarta-feira (23), a Justiça de São Paulo contra o aumento salarial do prefeito reeleito Bruno Covas (PSDB), de seu vice Ricardo Nunes (MDB) e dos secretários municipais.

“Mesmo que o reajuste esteja previsto para 1º de janeiro de 2022, a Câmara ignora o fato de estarmos na segunda onda da covid-19, de uma incerteza após as festas de fim de ano, além das incertezas e gastos com a imunização que a cidade deveria dar prioridade, e não a esse tipo de aumento fora da realidade social e econômica e financeira da própria administração pública”, afirma o documento.

“Ora, quando se legisla em causa própria, de modo a se aumentar a própria remuneração, o que se tem é a apropriação do espaço público para a satisfação de um interesse particular mesquinho; o que se tem é um desvio de finalidade da máquina pública, que deixa de servir ao bem comum e passa a favorecer uma minoria bem localizado no aparato que a todos pertence”, acrescenta.

A Câmara dos Vereadores aprovou um projeto de lei que concede aumento de 46% no salário de Covas, passando de R$ 24.175,55 para R$ 35.462. A votação se deu mediante a uma manobra conhecida como ‘cavalo’, quando um projeto é usado para colocar outro em votação.

Nesta quinta-feira (24), Covas decidiu dar um presente a si mesmo na véspera de Natal e sancionou o projeto. A publicação consta no DOU (Diário Oficial do Município) e explica que as despesas decorrentes da execução desta Lei correrão por conta do dinheiro dos contribuintes.

Últimas