R7 Planalto Relator mantém voto para arquivar processo contra Eduardo Bolsonaro

Relator mantém voto para arquivar processo contra Eduardo Bolsonaro

Igor Timo diz que não há justa causa, mas que discorda da visão sobre AI-5. Conselho de Ética se reúne amanhã para discutir caso

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7

Na imagem, deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)

Na imagem, deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)

Ueslei Marcelino - 08.12.2020/Reuters

Após pedido de vista por parte da oposição, o deputado federal Igor Timo (Podemos-MG) mantém sua posição como relator no caso da representação contra Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados.

Timo havia dado, na última segunda-feira (5), seu voto como relator para o arquivamento do caso, com o argumento de que não há justa causa. Parlamentares da oposição pediram vista e o processo foi adiado para a próxima quinta-feira (8).

“Pessoalmente, discordo das declarações que remetam à ditadura e considero o AI-5 uma página obscura da nossa história”, disse Timo, que acrescenta que a denúncia contra Bolsonaro “mistura elementos e fatos estranhos ao processo”.

“Por fim, o relatório não absolve, nem condena ninguém. A responsabilidade pela palavra final e decisão é do Conselho de Ética e, se necessário, do plenário da Câmara”, disse.

As representações contra Bolsonaro foram feitas pela Rede, PSOL, PT e PCdoB e foram reunidas no mesmo processo. Os partidos acusam o parlamentar de quebra de decoro parlamentar e de atentado contra a democracia. Numa entrevista realizada no ano passado, Bolsonaro sugeriu a adoção um novo AI-5, instrumento mais duro da ditadura militar.

Últimas