R7 Planalto Segunda turma do STF deve considerar Moro parcial

Segunda turma do STF deve considerar Moro parcial

Além de Nunes Marques, Cármen Lúcia deve alterar o voto e suspeição do ex-juiz seria decidida por 4 x 1 

  • R7 Planalto | Clébio Cavagnolle, da Record TV

Além de Nunes Marques, Cármen Lúcia deve alterar o voto e suspeição do ex-juiz seria confirmada por 4 x 1

Além de Nunes Marques, Cármen Lúcia deve alterar o voto e suspeição do ex-juiz seria confirmada por 4 x 1

Fellipe Sampaio/SCO/STF

A Segunda Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) retoma na tarde desta terça-feira (23) o julgamento sobre a suposta parcialidade do ex-juiz Sérgio Moro ao condenar o ex-presidente Lula na ação do triplex do Guarujá. 

O caso foi incluído na pauta da turma nesta terça, após o ministro Kassio Nunes Marques devolver a vista e liberar a retomada do julgamento, interrompido no último dia 9. O placar está empatado em dois a dois, e o voto de Nunes Marques é esperado para o desempate. 

Segundo o R7 Planalto apurou Nunes Marques deve votar pela parcialidade, mas a diferença deve ser maior do que apenas um voto em um placar pela suspeição. Nunes Marques deve acompanhar os ministros Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski ao considerar Sergio Moro parcial. E a ministra Cármen Lúcia, que havia votado pela imparcialidade, ao lado do ministro Edson Fachin, deve mudar o voto. 

Dessa forma, o placar ficaria em 4 votos a 1 pela parcialidade do ministro Moro.  Se confirmado, o resultado coloca em xeque boa parte da Operação Lava Jato e libera o ex-presidente Lula da condeção do tríplex do Guarujá o liberando, por enquanto (há outros processos contra ele), para disputar eleições. 

Últimas