R7 Planalto Senado vai rejeitar minirreforma eleitoral e manter fundo

Senado vai rejeitar minirreforma eleitoral e manter fundo

Texto terá de voltar à Câmara, onde deve ser votado até o início de outubro para valer nas Eleições de 2020

  • R7 Planalto | Mariana Londres, de Brasília, e Caio Sandin, do R7

Eleições de 2020 podem ser afetadas por mudança

Eleições de 2020 podem ser afetadas por mudança

Diego Herculano/Folhapress

Os líderes do Senado acordaram rejeitar a minirreforma eleitoral aprovada na Câmara mantendo apenas o Fundo Eleitoral para as eleições de 2020. O texto será analisado em sessão extraordinária da CCJ agora à tarde e seguirá para o plenário nesta terça (17). O valor do fundo eleitoral será o mesmo da última eleição.

Segundo o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) "todo o projeto será rejeitado pelo Senado e somente faríamos ressalva à questão do financiamento eleitoral".

— É melhor criar uma guerra com a Câmara do que com o Brasil. O texto é terrível para o Brasil e para a democracia. O texto flexibiliza a lei da ficha limpa. Quer ofensa maior do que esta?

Com a alteração no Senado, o texto voltará para a Câmara, onde a lei deve ser votada até o início de outubro para que possa ser válido para as Eleições 2020.

Randolfe comenta que espera que a Câmara não retome o texto anterior:

— Nós epereamos o bom-senso da Câmara de não reestabelecer o absurdo que a Câmara mandou para o Senado.

Mais cedo nesta terça um grupo de senadores composto por Álvaro Dias (Podemos-PR), Juíza Selma (PSL-MT), Major Olímpio (PSL-SP), Lasier Martins (Podemos-RS), Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), Alessandro de Viera (Cidadania-PE) e Eduardo Girão (Podemos-CE) ameaçou barrar a votação da nova lei eleitoral, pois ela estaria "na contramão do que quer a população".

Últimas