R7 Planalto Senador apresenta voto de repúdio contra DJ que agrediu ex-mulher

Senador apresenta voto de repúdio contra DJ que agrediu ex-mulher

Polícia Civil do Ceará abriu inquérito para apurar violência praticada por Iverson de Souza Araújo, conhecido como DJ Ivis

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar e Mariana Londres, do R7

Na imagem, DJ Ivis

Na imagem, DJ Ivis

Reprodução/ Record TV

O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) apresentou, nesta terça-feira (13), requerimento de inserção em ata de voto de repúdio a Iverson de Souza Araújo, conhecido como DJ Ivis, pelas agressões praticadas contra sua ex-mulher Pamella Holanda.

O requerimento foi apresentado à Presidência do Senado Federal, num ato simbólico da luta contra a violência sofrida pelas mulheres, e será submetido ao plenário.

“São imagens estarrecedoras que, infelizmente, ocorrem diariamente no Brasil. É por esse motivo que devemos reiteradamente tomar todas as medidas para coibir esse crime e punir, com severidade, os agressores”, afirma Contarato.

“Não podemos parar de lutar no Congresso e em todas as instituições. As mulheres precisam do nosso apoio. Apresento minha solidariedade às vítimas de violência doméstica por meio do nome de Pamella Holanda. Ao agressor, apresento meu total repúdio. Espero que as autoridades ajam com celeridade para puni-lo em conformidade com a legislação brasileira”, acrescenta.

Segundo dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, em 2019, foram registrados 266.310 casos de lesão corporal dolosa praticada em contexto doméstico - o número corresponde a uma agressão física a cada dois minutos. No 1º semestre de 2020, já havia 110.791 registros do mesmo crime contra vítimas do sexo feminino.

O Caso

Ivis foi denunciado pela ex-mulher por agressão. No último domingo (11), Pamella postou uma série de vídeos em que aparece sendo agredida pelo DJ em casa e na presença da filha deles, Mel, de apenas nove meses. Imagens que mostram hematomas e machucados pelo corpo também foram compartilhadas.

A Polícia Civil do Ceará informou nesta segunda-feira (12) que abriu um inquérito para investigar as acusações de agressão. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública explicou ainda o motivo de o DJ não ter sido preso.

"Informa que as agressões ocorreram no dia 01, porém a vítima só registrou o caso no dia 03, não sendo possível a lavratura do flagrante. Desde o dia do registro da ocorrência, a PC-CE solicitou ao Poder Judiciário medidas protetivas de urgência em favor da vítima. Desde então o caso segue em investigação”, disse.

Últimas