Operação Lava Jato

R7 Planalto Senadores divulgam manifesto em defesa da operação Lava Jato

Senadores divulgam manifesto em defesa da operação Lava Jato

Ação tem travado embate com Augusto Aras, procurador-geral da República. Entre os fatores, compartilhamento de dados e a criação da Unac

Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba

Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba

Agência Brasil

O Muda Senado, grupo formado por senadores favoráveis ao tema de combate à corrupção, publicou nesta quinta-feira (6) um manifesto em defesa da operação Lava Jato.

A força-tarefa tem travado embate com Augusto Aras, procurador-geral da República. Entre os principais fatores, estão o compartilhamento de dados e a proposta da criação da Unac (Unidade Nacional de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado).

Leia mais: Fachin derruba liminar que dava à PGR acesso a dados da Lava Jato

No manifesto, os senadores se dizem preocupados com a crescente escalada de ações e manifestações, que “denotam uma forte orquestração com um objetivo claro”.  “Fomentar uma narrativa política que destrua a credibilidade das operações de combate à corrupção que mudaram a face do Brasil, com especial destaque para os ataques direcionados à operação Lava Jato”, afirmam.

“Temos visto decisões inusitadas proferidas em regime de plantão no Judiciário, críticas e ilações descabidas por parte do Procurador-Geral da República, somadas à fala oportunista de políticos investigados ou processados”, argumentam.

Veja também: STF decide retirar delação de Palocci de ação da Lava Jato contra Lula

O grupo de senadores ressaltam “que não cabe ao PGR o papel de fiscalizar o trabalho dos procuradores”. “Esse controle cabe à Corregedoria do MPF. Tal ingerência é inaceitável e compromete o futuro das centenas de investigações ainda em andamento”, dizem.

Por fim, repudiam o que chamam de “perseguição” contra o procurador Deltan Dallagnol, que coordena o grupo em Curitiba.

Mais: Corregedora do MPF manda apurar irregularidades na Lava Jato em SP

O manifesto é assinado por Alessandro Vieira (Cidadania-SE), Alvaro Dias (Podemos-PR), Arolde de Oliveira (PSD-RJ), Eduardo Girão (Podemos-CE), Flávio Arns (Rede-PR), Jorge Kajuru (Cidadania-GO), Lasier Martins (Podemos-RS), Mara Gabrilli (PSDB-SP), Marcos do Val (Podemos-ES), Major Olimpio (PSL-SP), Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), Plínio Valério (PSDB-AM), Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Reguffe (Podemos-DF), Rodrigo Cunha (PSDB-AL) e Soraya Thronicke (PSL-MS).

Últimas