Sequestrador de Olivetto será extraditado para o Chile

Maurício Norambuena foi condenado a 30 anos de prisão no Brasil pelo pelo sequestro do publicitário Washington Olivetto. Ele já cumpriu 16 anos

Maurício Norambuena, sequestrador de Olivetto, será extraditado ao Chile

Maurício Norambuena, sequestrador de Olivetto, será extraditado ao Chile

Robson Fernandes/Estadão Conteúdo

Maurício Hernández Norambuena, condenado a 30 anos de prisão no Brasil pelo pelo sequestro do publicitário Washington Olivetto em 2001, será extraditado para o Chile nas próximas semanas.

A extradição foi confirmada nesta segunda-feira (19) pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. 

Antes de vir ao Brasil, Norambuena tinha outras duas condenações à prisão perpétua no Chile: uma pelo assassinato do senador Jaime Guzmán, aliado do ditador Augusto Pinochet, e outra pelo sequestro de Cristián Edwards, herdeiro do jornal El Mercurio, ambos em 1991. Veio para o Brasil após fuga "cinematográfica" de presídio de segurança máxima no Chile, em um helicóptero.

Desde que foi preso no Brasil, em 2002, o Chile pedia a extradição, mas não concordava em manter no Chile a pena brasileira, limitada a 30 anos. De acordo com o Ministério da Justiça, houve agora um comprometimento formal do governo do Chile com a não execução de penas não previstas na Constituição Brasileira. Dentre elas prisão perpétua e pena de morte.

No Brasil, Norambuena bateu recorde tempo em solitária: 16 anos

No Chile, Norambuena usava o codinome capitão Ramiro na Frente Patriótica Manuel Rodríguez (FPMR), braço armado do Partido Comunista. Da prisão, assinou o livro Um Passo à Frente: Fala o Comandante Ramiro da FPMR, escrito por ghost writer e lançado no Chile em 2016. O texto aprovado por ele está sendo traduzido para o português. Nele, diz: "Sou duplamente castigado: por minha condenação e pelo regime a que estou submetido (...) O mais complexo é manter a lucidez".