R7 Planalto "Tive o mandato cassado de forma cruel e covarde", diz Flordelis

"Tive o mandato cassado de forma cruel e covarde", diz Flordelis

Deputada deixa a Câmara com 437 votos pela cassação. Ela alega ser inocente e diz estar sendo perseguida

  • R7 Planalto | Mariana Londres, de Brasília

Na imagem, deputada Flordelis

Na imagem, deputada Flordelis

Mariana Londres/R7

Cassada por quebra de decoro parlamentar pelo plenário da Câmara dos Deputados com 437 votos favoráveis, 7 contrários e 12 abstenções, a deputada Flordelis (PSD-RJ) nega ter mandado matar o marido Anderson do Carmo, se diz perseguida e considera a perda de mandato “cruel e covarde”.

"Não cometi crime algum. Réus confessos já confessaram os crimes. Trabalhei muito para ter quase 200 mil votos e ter o meu mandato cassado de forma cruel e covarde. Tenho certeza que no júri serei absolvida”, afirmou.

“A minha defesa tem fundamentação para provar que Flordelis não cometeu crime algum. Saio não para recuar nas minhas batalhas e me mantenho de pé para lutar pelas pessoas. Saio com bandeira para alertar as mulheres que não amem os seus maridos de forma cega. Prestem mais atenção na sua casa, ao olhar dos seus filhos", completou.

Flordelis diz ter descoberto após a morte do marido que ele abusava sexualmente de suas filhas e netas. Os réus confessos do crime são seus filhos. "Minha filha está presa e é ré confessa. Gostaria de estar no lugar dela. Mas não vou pagar por crimes que não cometi."

A deputada diz ter medo de ser presa, uma vez que não possui mais a imunidade parlamentar. Além de perder o cargo, a deputada ficará inelegível por determinação da Lei da Ficha Limpa.

Últimas