R7 Planalto Três blocos disputarão a presidência da Câmara. Veja os candidatos

Três blocos disputarão a presidência da Câmara. Veja os candidatos

Marcos Pereira (Republicanos-SP) deixou bloco independente e será candidato de "terceira via". Bloco de Maia (DEM-RJ) deve definir nome até amanhã

  • R7 Planalto | Mariana Londres, de Brasília

Arthur Lira já é candidato, Maia formou bloco e Marcos Pereira será "terceira via"

Arthur Lira já é candidato, Maia formou bloco e Marcos Pereira será "terceira via"

Reprodução Câmara dos Deputados

As intensas conversas em Brasília no início da semana terminaram na noite de quarta-feira (9) com um cenário mais definido para a disputa da presidência da Câmara. O deputado Arthur Lira (PP-AL), apoiado pelo Planalto, lançou oficialmente a candidatura. O atual vice-presidente da Câmara, deputado Marcos Pereira (Republicanos-SP) deixou o bloco independente, liderado pelo atual presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) e será candidato também independente, mas como terceira via. Já o bloco de Maia ficou delimitado em seis partidos e deve anunciar o nome do candidato até o final da semana. 

Chris Lemos: Maia sobe o tom e sinaliza para fim de gestão tenso

Até o momento a oposição não formou um bloco e não definiu se terá candidato próprio ou se apoiará um dos três candidatos dos blocos já formados. 

Veja como está o xadrez da sucessão: 

Bloco Lira: o candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) oficializou ontem a candidatura ao lado de lideranças do PSD, Pros, Avante, Patriota, PL, SD e PSC. 

Bloco Indepentente/Maia: já Rodrigo Maia formou bloco com total de seis partidos: DEM, PSL, MDB, PSDB, Cidadania e PV e deve anunciar o nome do candidato até o final da semana. 

Terceira via/Marcos Pereira: saiu do bloco independente do Maia e será candidato como "terceira via". Está alinhado ao Podemos e conversa com outros partidos. 

A eleição para a mesa diretora da Câmara acontece no dia 1º de fevereiro. A votação é secreta e por isso além de alianças entre os partidos é necessário um corpo-a-corpo com os deputados, já que há muitas dissidências dentro das legendas, especialmente na esquerda. 

Ao que tudo indica até agora, a esquerda deve formar um bloco de oposição e apoiar um dos candidados colocados entre os três blocos, mas ainda não há consenso, especialmente dentro do PT, PSB e PDT. Por enquanto os partidos estão ouvindo os candidatos já colocados para alinhar programas e marcaram uma reunião, entre os partidos de oposição, para a próxima terça-feira. 

Últimas